sábado, 21 de abril de 2012

À espera das obras - Clube dos Ferroviários 21 de Abril

 
21/04/2012 | N° 3121 - Jornal Diário de Santa Maria
 

À espera das obras

Salão de baile, quadra de esportes, cancha de bocha. Uma infraestrutura que nem todos os clubes da cidade ofereciam a seus associados fez a Sociedade Recreativa Ferroviária 21 de Abril um dos mais importantes da sua época. Depois da decadência dos trens, aconteceu algo que, nos anos 60 e 70, poderia parecer impossível: o maior clube do bairro Itararé fechou as portas. Assim, ficou sujeito à ação de vândalos que, ao lado da ação do tempo, têm destruído paredes, janelas, portas e feito com que o local seja visto como fonte de insegurança pelos vizinhos do prédio.

O patrimônio foi doado pelos sócios do 21 de Abril à prefeitura em dezembro de 2009. Na época, o prédio, que estava fechado desde 1995, foi oferecido por seus sócios para que fosse construído um centro de convivência para a comunidade. Passados mais de dois anos, a ferrugem, o mofo e as pichações ainda tomam conta do prédio da Rua Anita Garibaldi.

– Cheguei a morar no prédio, quando o clube já estava fechado. Era tudo muito bonito. A entrada era cheia de espelhos. Um luxo. Hoje, está desse jeito aí – diz a dona de casa Loreci Chaves, 42 anos.

Fundado em 21 de abril de 1927, o clube completaria 85 anos neste sábado. Os antigos bailes eram disputados, principalmente os de Carnaval. Bandas e conjuntos musicais vinham de diferentes cidades. Nos anos 60 e 70, o número de sócios chegou a cerca de 5 mil.

– Conheci a minha falecida esposa no 21 de Abril e fui garçom do clube. Era sempre muito movimentado, principalmente quando vinham as orquestras para os bailes – lembra o aposentado Nalvo Cesar, 70 anos.

A intenção da prefeitura é que seja instalado no local – que este ano chegou a ser emprestado para uma escola de samba – um espaço no qual, além de lazer, a comunidade encontre cursos e oficinas. Os recursos para a reforma serão do Banco Mundial e da prefeitura. Segundo o secretário de Planejamento Estratégico e Projetos Especiais, Carlos Brasil Pippi Brisola, ainda não foi definida como será a administração do local.

– Não podemos divulgar os valores envolvidos para não causar problemas à licitação que vai escolher a empresa que fará a obra. Ela deve ser aberta ainda este mês – afirma o secretário.

Segundo Brisola, a expectativa é que as obras ponham fim à entrada de pessoas não autorizadas no prédio e ao vandalismo.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/dsm/rs/impressa/4,1304,3733673,19447
 

3 comentários:

  1. Oi Sonia!


    É o que esperamos também!!!

    Abraços!

    Andrea

    ResponderExcluir
  2. Há um mês, aproximadamente, um grupo de ex-ferroviários de Santa Maria, compareceu a uma das edições do "Galpão do Nativismo", pela Rádio Gaúcha. Na ocasião, o líder do grupo manifestou o empenho dessa comunidade santamariense pelo restabelecimento das vias férreas no país. Peço que me informem se esta página pertence ao grupo a que me refiro, pois disponho de matéria de seu interesse. Meu e-mail é jatabajara@gmail.com

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário!!!