quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Lenda Imembui e Vento Norte


Santa Maria, originária de uma demarcação de terras por portugueses, que vieram cumprir ordem do então Rei de Portugal (a fim de estabelecer a divisa entre território português e espanhol) possuiu, como seus primeiros moradores os índios Tapes. Daí a enorme existência de lendas relacionadas com a cidade. Algumas delas trazemos aqui.


Ao lado é possível observar a famosa VILA BELGA, primeiro conjunto habitacional do Estado. Este nome é proveniente dos engenheiros belgas que estiveram na cidade no início do século XX para a construção da extensa malha ferroviária que cobriu um dos Estados mais avançados neste meio de transporte. Estas mesmas casas, que perfazem um conjunto de 8 quadras estão sendo objeto de tombamento pela Prefeitura Municipal.


Lenda de Imembuy
As margens do Arroio També viviam duas tribos, os Tapes e os Minuanos (guerreira). Este lugar era chamado pelos índios de Ybitory-Retan (terra da alegria). As duas tribos conviviam em paz nesta localidade.
Numa tarde, Ibotiquintã, esposa do chefe da tribo, deu a luz a uma bela menina e a chamou de Ymembuí (filha das águas).
Imembuy, de muito bela, embora moça muito assediada, não pretendia logo dar seu "coração" a nenhum dos jovens daquelas tribos.
Um destes jovens índios, Acangatú realizou mil juras de amor para que Imembuy com ele ficasse, esta não aceitou, e de remorso, fugiu este para bem longe da tribo.
Certo dia, foi avistada uma tropa de bandeirantes portugueses que estavam no local a fim de demarcar as fronteiras. A tribo, então, realizou uma enorme emboscada, dizimando aquela tropa e deixando apenas dois sobreviventes.
Um deles seria mandado de volta aos seus superiores para contar a desgraça ocorrida com os demais, e o outro, de nome Rodrigues, seria executado em um sangrento ritual pela tribo.
No entanto a simpatia de Rodrigues conquistou a bela e jovem Imembuy, que o livrou da morte casando-se com ele, recebendo, a partir daquele dia um nome indígena, Morotin.
Tiveram um lindo filho, de nome José. Este, brincando, perdeu-se na mata certa feita, sendo salvo pelo desaparecido Acangatú (aquele que amava Imembuy), que após encontrar o filho do jovem casal, achou por bem retornar à tribo, que tempos mais tarde deu origem à Santa Maria!

Lenda do Vento Norte

Não há vento que mais "desnorteie" o santamariense que o próprio Vento NORTE. Quente e seco, suas rajadas já atingiram mais de 140km/h destelhando casas e cumprindo um ritual já conhecido dos habitantes do local, que nada tem a fazer senão esperá-lo durante três dias seguidos para depois deste sopre o Vento Minuano trazendo chuva.

Ademais, a sua forma de soprar "enlouquece" seus moradores. Há indícios fortes de que ocorre um maior número de crimes e demais problemas de ordem pública em seus dias de sopro, é a VIRAÇÃO que traz o vento!

Segundo algumas lendas indígenas, a origem do vento Norte data do período demarcatório protuguês, próximo ao início do séc. XVII.

Um dos bandeirantes, sendo capturado pelos índios Tapes (vai ver foi aquele que sofreu a incumbência de avisar seu comandante sobre a morte de Rodrigues da lenda acima) foi amarrado em um lombo de um cavalo e solto em disparada para fora dos limites da tribo.

Longe dali, aonde hoje estão localizados os Moinhos Ipiranga (ou Supermercado Bela Vista) o bandeirante rogou uma praga ao local, daquele dia em diante nunca mais viveriam em paz, pois seriam atormentados, frequentemente, por um vento quente, insuportável, que retiraria a tranquilidade do local.

Dando assim origem ao Vento Norte.

Fonte: http://www.geocities.com/agconline/lenda.htm, em 05 Ago 09, às 10h18min

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário!!!

Postar um comentário